Heterossexualidade:
    Os comportamentos heterossexuais eram tidos apenas com vista à reprodução, não só porque não era permitido ter sexo por prazer, mas também porque a  mulher, era  vista como sendo  astuciosa, maliciosa, recorria a artimanhas, ao poder racional e a sua linguagem, que se dizia ser um instrumento corrompido, para escravizar o homem ao desejo sexual e portanto à luxuria. 



 

Homossexualidade:

A forma mais comum de relações homossexuais entre homens na Grécia Antiga era a "pederastia" ("amor de/por garotos"). Era uma relação entre um homem mais velho e um adolescente. As crianças mantinham relações sexuais com homens mais velhos desde os 7 anos de idade, tanto no quartel quanto na escola eles aprendiam  tudo sobre a sexualidade.
Em Atenas, após cumprir sua função no exército, os homens eram obrigados a  estudar  para retornar ao exército como educador sexual.


Homossexualidade feminina: 

A homossexualidade feminina também teve seu lugar na Grécia Antiga, mas uma vez que a mulher não ocupava um lugar de destaque existem muito poucos registos. No entanto é da antiguidade grega que provém o termo lésbica. Lesbos é o nome da ilha onde viveu Safo, a famosa poetisa, cujo seus poemas eram contos eróticos sobre relações entre mulheres. 

 

PEDERASTIA NÃO ERA SINÔNIMO DE SEXO

Há uma tremenda confusão à respeito da pederastia entre os gregos, que mereceria uma postagem específica, por ser cheia de sutilezas e regras. A pederastia não tinha nada a ver diretamente com homossexualidade nem com pedofilia, do modo como as entendemos atualmente. Era uma ligação de afeto de um homem adulto livre e da elite por um garoto, que tinha função pedagógica na formação de um cidadão. É claro que às vezes rolava sexo e paixão, mas nem por isso a prática era aceita socialmente ou tolerada pelo Estado. Seria inaceitável submeter um filho de família importante à penetração, por exemplo, porque era considerada um ato de violência. Fosse na vagina, no ânus ou na boca, só às mulheres a submissão de serem penetradas seria apropriada.

 

 

Ser passivo era vergonhoso:

A homossexualidade masculina entre dois homens adultos era inaceitável socialmente, o que não quer dizer que não existia. Tal como no caso dos romanos, o passivo era o alvo da condenação e da vergonha, porque ser penetrado remetia a um papel feminino de submissão (e a sociedade grega era tremendamente machista). 


MULTA POR ESTUPRO

Mulheres e crianças, fossem livres ou escravas, eram protegidas do estupro por lei. O agressor pagava multa duplamente, à vítima e ao Estado.